O empresário respondeu a uma publicação tecendo as críticas - Foto: Enzo Souza

O empresário e dono do Twitter/X, Elon Musk , teceu críticas a condenação imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a um dos réus pelos atos golpistas de 8 de janeiro. Wellington Luiz Firmino foi sentenciado a 17 anos de prisão por sua participação nos atos em 2023.

O bilionário respondeu a uma publicação no Twitter que falava sobre a condenação. Na resposta, ele diz: “A menos que falte alguma coisa aqui [no post], a punição é muito superior ao crime”.

Ao todo, 131 envolvidos nos atos golpistas do 8 de janeiro foram condenados pelo STF. As penas variam de 3 a 17 anos.

As sentenças se pautam nos crimes de dano qualificado, tentativa de golpe de Estado, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, deterioração do patrimônio tombado e associação criminosa. Ao todo, a Procuradoria-Geral da República fez 1.390 denúncias, buscando um acordo com mais de mil denunciados. Para isso, eles que haja a confissão dos crimes para que o caso não fosse a julgamento.

Após os atos do 8 de janeiro, Musk fez uma reunião com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O bilionário teria entrado de surpresa em uma reunião virtual com representantes do Twitter no Brasil e com integrantes governamentais. A informação foi dada pela Folha de S.Paulo na época.

Musk foi questionado sobre posts que pudessem incentivar um golpe de Estado. Entretanto, o empresário apenas disse que a empresa estava feliz pela questão estar sob controle, ressaltando que a democracia brasileira é sólida e que o país é muito importante para as empresas.

Entretanto, na mesma conversa, ele teria pontuado sobre a “a importância de defender a liberdade de expressão” e de examinar o “contexto” das publicações.

*Com informações de IG