FAS participa da Conferência Brasileira de Mudança do Clima

(Foto: Divulgação)

Berço da maior sociobiodiversidade do planeta, é da Amazônia que podem nascer  soluções para a crise climática. Esta foi a proposta apresentada pela Fundação Amazônia Sustentável (FAS) na primeira parte da IV edição da Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC), realizada entre os dias 10 e 11 de junho, em Niterói, no Rio de Janeiro. O evento teve participação de organizações do terceiro setor ligadas ao clima e meio ambiente, além de representantes de governos do país. A segunda parte da CBMC está prevista para agosto, em Recife.

Giovana Figueiredo, coordenadora de Políticas Públicas e Cooperação Internacional da FAS, participou do painel de abertura da Conferência, que teve como foco desta edição a construção de propostas de enfrentamento à crise climática, sob a perspectiva do ano eleitoral. Além de agregar com a perspectiva amazônida para a CBMC, Giovana explica que o encontro trouxe lições importantes para a FAS.

“Todas as discussões e modelos que foram elaborados pelos participantes da conferência são muito valiosos em termos de boas práticas para a realidade que a gente trabalha na Amazônia,” avalia.

A coordenadora, representante da Fundação na ocasião, explica que o evento tem se consolidado como uma plataforma multilateral de importante espaço para articulação da agenda climática. “O papel da FAS na CBMC tem sido conectar os aspectos nacionais e internacionais à realidade local da Amazônia brasileira, trazendo a visão de povos indígenas e comunidades ribeirinhas para a construção de debates e soluções entre os setores público e privado e a sociedade civil”.

Próximos passos

Durante o encontro, foram formados grupos de trabalho para construir as propostas que serão apresentadas aos futuros governadores. Entre elas está a implementação da NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) brasileira para atingir as metas de redução de emissões de gases do efeito estufa em compromisso com o Acordo de Paris.

A FAS terá participação ativa nesses grupos da conferência, especialmente com a contribuição de pessoas que trabalham na ponta com ribeirinhos e povos indígenas, que têm papel fundamental na proteção contra as queimadas e o desmatamento.

Sobre os próximos passos, Giovana destaca: “Um dos encaminhamentos para o encontro de Recife é a assinatura de uma carta com propostas a nível subnacional de medidas a serem implementadas por futuros governadores”, explica a coordenadora.

A CBMC e a Fundação Amazônia Sustentável (FAS)

A Conferência Brasileira de Mudança do Clima é uma iniciativa coletiva e apartidária, nascida em 2019, para demonstrar o engajamento e o compromisso da sociedade brasileira com a agenda climática e suas implicações sociais. A CBMC é idealizada e coordenada pelo Instituto Ethos e conta com o apoio da FAS como co-realizadora desde a sua primeira edição. Além disso, a Conferência tem como parceiros um diverso grupo de instituições públicas e privadas.

Fundada em 2008 e com sede em Manaus/AM, a Fundação Amazônia Sustentável (FAS) é uma organização da sociedade civil e sem fins lucrativos que dissemina e implementa conhecimentos sobre desenvolvimento sustentável, contribuindo para a conservação da Amazônia. A instituição atua com projetos voltados para educação, empreendedorismo, turismo sustentável, inovação, saúde e outras áreas prioritárias. Por meio da valorização da floresta em pé e de sua sociobiodiversidade, a FAS desenvolve trabalhos que promovem a melhoria da qualidade de vida de comunidades ribeirinhas, indígenas e periféricas da Amazônia.